terça-feira, 31 de agosto de 2010

Ventania ou O último hippie será televisionado

The Mamas & The Papas: California Dreamin'

Não sei por que lembrei dessa música agora.

Estudo mostra impactos da safra de soja 2009/2010 no ambiente

A soja é matéria-prima de 80% do biodiesel nacional, índice que revela o fracasso do programa de inclusão de pequenos produtores de mamona e dendê na cadeia dos agrocombustíveis renováveis. Indica também que todos os problemas ambientais, sociais e trabalhistas decorrentes do modelo de expansão da cultura da soja no Brasil tendem a aumentar e põem em xeque o modelo de "energia limpa" pregado por governo e empresários. Nos dois últimos anos, a quantidade de soja destinada à produção de biodiesel mais que dobrou.
A íntegra.

O Brasil que 'decola' é capa da revista The Economist mais uma vez

"Entre 1996 e 2006, o valor total da produção agrícola do país aumentou de 23 bilhões de reais para 108 bilhões de reais, ou 365%. O Brasil aumentou suas exportações de carne dez vezes em uma década, ultrapassando a Austrália como maior exportador do mundo. Tem o maior rebanho bovino do mundo depois da Índia. É também o maior exportador mundial de frango, açúcar de cana e etanol. Desde 1990 sua produção de soja aumentou de quase 15 milhões de toneladas para mais de 60 milhões."
A reportagem investiga como "essa transformação surpreendente" aconteceu, para que sirva de exemplo para o mundo, mas não diz uma palavra sobre o outro lado da moeda: a destruição ambiental do cerrado, a exploração dos trabalhadores, as ameaças do agronegócio às populações tradicionais e indígenas, a concentração fundiária e de renda no campo a partir da década de 1970.
Íntegra da matéria do Repórter Brasil.

Dilma no Jornal da Globo, 31 de agosto - 1ª parte

Dilma dá show e ainda ensina economia para WW e outra apresentadora mal educada.

Dilma no Jornal da Globo, 31 de agosto – 2ª parte

Minha garota!

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Ex-comunistas e ex-humorista de direita fazem rir pra não chorar

Uma das coisas boas da web é certa atemporaneidade. A gente pode topar, de repente, com esta pérola do Gilberto Maringoni, publicada pelo Opera Mundi, em março passado.

Libelu, Rolando Lero e Dr. Romano na 'Confecom da direita'
A terceira mesa da "Confecom da direita", realizada na última segunda-feira, foi intitulada “Ameaças à democracia no Brasil” e foi a mais trepidante de todas. Contou com Demétrio Magnoli, o Gustavo Corção da Libelu, Denis Rosenfeld, o Rolando Lero na filosofia gaúcha, e Amauri de Souza, sociólogo. Na mediação, Tonico Ferreira (Globo). Ferreira é mais um daqueles que um dia foram de esquerda e transitaram alegremente para a outra ponta do espectro político sem culpas. Chefe de redação do semanário Movimento, no final dos anos 1970, Ferreira, de saída, denuncia o caráter autoritário da lei eleitoral. “É censura”, diz ele, antes de passar a palavra a Magnoli. Este não perde tempo. Logo faz um apanhado da história do PT e dispara: “A relação do partido com a democracia é ambígua. Juntamente com o PSOL, apoiou o fechamento da RCTV”. Acusa a agremiação de Lula de fazer uma volta atrás em seu ideário democrático. “Retomaram a ideia autoritária de partido dirigente e de democracia burguesa”, sentencia. E logo completa: “Este movimento, de restauração stalinista, é reforçado pela emergência do chavismo e do apoio a Cuba”. Na plateia, uma senhora murmura: “Que vergonha nosso governo apoiar isso”.
A íntegra.

Imprensa mundial publica notícia falsa sobre restaurante canibal brasileiro

26 de agosto foi um dia de muitas notícias. Como esta, abaixo. Só tem similar na história do boimate, cruzamento do boi com o tomate, na qual o atual diretor executivo da Veja acreditou e publicou na revista, em 1983.

Mídia internacional ignora indícios de fraude e publica notícia sobre restaurante canibal

Pedro Aguiar e Laisa Beatris, do Opera Mundi
A mídia de vários países do mundo se viu envolvida nesta quinta-feira (26/8) em uma notícia polêmica com ares de montagem bem armada. Um restaurante em Rondônia especializado em receitas canibais estaria procurando doadores voluntários para fornecer seu principal ingrediente: carne humana. A polêmica teve início com a entrevista de um político alemão publicada nesta quinta-feira pelo Bild, um jornal sensacionalista de Berlim. O vereador Michael Braun, vice-presidente do diretório municipal da CDU (partido democrata-cristão alemão), afirmou ter recebido e-mails de eleitores com denúncias sobre o restaurante Flimé, que estaria planejando abrir uma sucursal em Berlim.
A íntegra.

Petrobrás patrocina o campeonato brasileiro? O que está acontecendo?

Nos jogos do campeonato brasileiro do fim de semana passado uma novidade, pelo menos para mim: uma placa de publicidade na altura do meio campo dizia: "Brasileirão 2010 Petrobras". Era a placa principal dos estádios, similar àquela que, nos jogos da Libertadores vem com o nome da competição e do banco Santander. Quando a Petrobrás faz publicidade no campeonato brasileiro de futebol tem alguma coisa errada – ou com o campeonato ou com a Petrobrás. Ou com ambos. A Petrobrás não precisa de publicidade em campo de futebol nem o campeonato brasileiro precisa de patrocínio da Petrobrás. Supõe-se que não faltam patrocinadores para o "brasileirão"; certamente há milhares de eventos e organizações que precisam mais da verba publicitária da estatal do petróleo do que o campeonato brasileiro e a CBF. O encontro da Petrobrás com a CBF é indício de falcatrua ou desperdício de dinheiro público, que poderia ser empregado em patrocínio de mais artistas como o Grupo Galpão e os do projeto deste vídeo.

Popularidade de Lula é recorde

79% do eleitorado consideram o governo Lula ótimo ou bom, segundo pesquisa do Datafolha realizada nos dias 23 e 24 de agosto. Na aferição anterior, o índice foi 77%. Apenas 4% consideram o governo Lula ruim; 17% o consideram regular. Desde dezembro o índice de bom ou ótimo está acima de 70%. O índice atual é recorde; o máximo anterior tinha sido 78%, em pesquisa feita em junho e julho. Os eleitores também deram nota a Lula; 81% deram nota igual ou superior a 7; 33% deram nota 10. Lula vai melhor entre eleitores que têm nível fundamental de escolaridade (8,6) e renda familiar de até dois salários mínimos (8,5).
Íntegra da matéria.

Quando até SP se rende a Dilma, só resta aos demotucanos o desespero

Notícia velha que eu não tinha lido é nova pra mim.

26/8/2010 - 3h01
Dilma abre 20 pontos e já ultrapassa Serra em SP e no RS, diz Datafolha
Fernando Rodrigues, de Brasília
A candidata do PT a presidente, Dilma Rousseff, manteve sua tendência de alta e foi a 49% das intenções de voto. Abriu 20 pontos de vantagem sobre seu principal adversário, José Serra, do PSDB, que está com 29%, segundo pesquisa Datafolha. Os contratantes do levantamento são a Folha e a Rede Globo. Realizada nos dias 23 e 24 com 10.948 entrevistas em todo o país, o levantamento também indica que Dilma lidera agora em segmentos antes redutos de Serra. A petista passou o tucano em São Paulo, no Rio Grande do Sul e no Paraná e entre os eleitores com maior faixa de renda.
A íntegra.

Projeto de adequação do Anel Rodoviário não prevê recursos para população removida

Matéria da Carta Capital informa que obra viária para a Copa de 2014 em Belo Horizonte está superfaturada mas não prevê recursos para reassentamento de 2.600 famílias que serão removidas.

Raquel Rolnik
27 de agosto de 2010 às 11:18
Quase 2.600 famílias moradoras da Vila da Luz e da Vila da Paz, em Belo Horizonte, estão ameaçadas de remoção em função da obra de melhoramento e adequação do Anel Rodoviário.
O projeto, orçado em cerca de R$ 800 milhões, não prevê recursos para remoção e reassentamento da população envolvida e já teve o edital anulado pelo TCU (19/8/10), que alegou irregularidades correspondentes a um sobrepreço de cerca de R$ 300 milhões. A ocupação, feita por famílias de baixa renda desde 1981, nunca recebeu investimentos públicos e vive em extrema precariedade há três décadas, sem serviços básicos de iluminação, abastecimento de água, esgoto ou coleta de lixo, e ainda sofre com os riscos decorrentes da proximidade com a rodovia.
A íntegra.

A herança da Abril

Quem trabalhou, ainda que por alguns meses, na Editora Abril sabe quão fascinantes são aquela estrutura e aquele conhecimento acumulado em mais de meio século de produções editoriais. A isso some-se o estilo paulista de trabalhar, único no país, e assimilado por profissionais que migram de todos os estados. Por isso mesmo é lamentável o que os herdeiros de Victor Civita (proprietários) e de Mino Carta (jornalistas) fizeram com a empresa. Isso me vem à cabeça ao deparar, por acaso, com uma página sobre a história da educação brasileira que a Abril mantém. Nos anos 70 a Abril foi importante na formação de muitos brasileiros, com a popularização da cultura, um trabalho que uniu intelectuais e jornalistas, e produziu inúmeras publicações em fascículos como clássicos da literatura, clássicos da música erudita, clássicos da música popular brasileira, história da pintura e outros. Tais coleções combinavam qualidade de texto, qualidade gráfica e qualidade de seleção. Numa época de ditadura militar eram uma luz para muitos, um ar puro para se respirar e garantir a sobrevivência do conhecimento. É uma pena que tudo isso tenha se perdido. Na verdade, não se perdeu, enquanto a estrutura da Abril estiver intacta. O que é preciso é que volte a ter orientação progressista, que abandone a combinação de fascismo e neoliberalismo que tem caracterizado a editora, especialmente a revista Veja, nas últimas décadas.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Para terminar a semana, nada como ouvir João. Até o ar (13%) fica menos seco

Às vezes eu acho que Izaura é a gravação do João de que eu gosto mais. Essa com Miúcha então, que dura mais de 5 minutos, é uma delícia. O João cantando e tocando violão é uma espécie de mantra, pode continuar infinitamente que só dá prazer, não cansa, ao contrário, acalma, dá sensação de bem-estar, tira a gente desse mundo corrido e barulhento. E seco...

Domingo tem: 2º festival de brincadeira de rua do Clic!

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

José Cleves e o caso Bruno: a imprensa não pode se esconder atrás da polícia

Caso Bruno: o espetáculo continua
José Cleves da Silva (*)
A espetacularização do Caso Bruno pela polícia coloca a mídia eletrônica e de papel brasileira numa situação difícil. Pior é ver parte dessa mídia legitimar a versão policial como única e verdadeira. (...) A polícia pode falar que fulano é ladrão ou assassino, ainda que contrarie os direitos constitucionais do cidadão, porque o que ela fala e escreve somente terá validade se corroborada na Justiça, sem que as ofensas morais impliquem dano para a autoridade policial, ainda que o acusado seja inocentado. Infelizmente é assim que funciona a estrutura do judiciário em nosso País. O que não pode ocorrer é a imprensa enfiar goela abaixo do público essas conclusões policiais, com o argumento fajuto de que "quem está falando é a polícia". Isso é covardia. Se querem o escândalo como forma de pagamento da dívida moral do acusado, que apresentem ao público as nuances dessa dívida sem o veio do sensacionalismo barato.

A polícia que transforma a vítima em réu

Não é só na censura à imprensa que o reinado Aécio Anastasia, que quer continuar por mais quatro anos, foi péssimo. As polícias continuam as mesmas da ditadura, não trabalham para proteger o cidadão – cidadão? Que é isso? – mas para nos intimidar. Continua valendo a música do Chico: Chame o ladrão! Chame o ladrão! Aqui o exemplo do caso José Cleves, um repórter que denunciava corrupção policial. O delegado que transformou a vítima em réu, forjando provas, continua na ativa, é o responsavel pelo caso Bruno. José Cleves foi inocentado pelo tribunal do júri (7 a 0) e escreveu um livro: A justiça dos lobos.

CULPADO POR SUSPEITA
José Cleves (*) e Cristina Moreno de Castro (**)
Como é possível uma pessoa comprar a arma de um desafeto, matar a mulher sem nenhuma motivação, usar luva para apagar as provas e depois deixar a luva e a arma e chamar a polícia?
Uma semana após o assalto, vi que a imprensa embarcou na versão da polícia.
Íntegra da matéria da Folha de S.Paulo.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

A nova imprensa brasileira

A estrutura da imprensa brasileira, que foi sempre centrada no eixo São Paulo-Rio, está mudando. Jornalismo local e internet passam a ter grande importância, segundo Luís Nassif.
Coluna Econômica
O sistema de informações brasileiro sempre obedeceu a uma lógica quase imutável. No centro da formação da opinião pública estavam alguns grandes jornais, revistas e emissoras de televisão do eixo Rio-São Paulo. Na periferia, jornais e rádios regionais. A notícia e/ou opinião nascia no centro e espraiava-se para os demais veículos, seja através da leitura desses veículos ou de agências de notícias. A partir daí, ganhava abrangência nacional. Daqui para frente, esse modelo muda. (...) No centro da formação do sistema de opinião, haverá outros agentes, que começam a crescer cada vez mais: blogs, grandes portais de empresas de telecomunicações, novos projetos de jornal online que deverão nascer nos próximos anos.
A íntegra.

Por que Lula mudou o Brasil

"Vou terminar oito anos de mandato sem nunca ter almoçado em nenhum jornal ou televisão", disse Lula. "Você fala inglês?", perguntou a Lula o diretor da Folha. "Como então quer governar o Brasil?" Neste discurso de final de governo, Lula mostra por que mudou o país.

A cultura no governo Aécio Anastasia: o dinheiro não chega, a burocracia não deixa

Embora o Pontos de Cultura seja o mais eficaz programa cultural já realizado no Brasil, segundo estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 60% dos projetos aprovados no edital de 2004 e 90% dos selecionados em 2005 não chegaram ao terceiro ano, em consequência dos entraves burocráticos. Um exemplo prático aconteceu no curso ministrado na semana passada pela Secretaria de Estado da Cultura de Minas Gerais, voltado às entidades selecionadas pelo edital de Pontos de Cultura. São 100 entidades aprovadas em concorrência pública, que receberam em julho, depois de muito atraso, a primeira das três parcelas anuais de R$ 60 mil, destinadas ao desenvolvimento de atividades culturais em rede. Não bastasse o tenebroso período de espera para receber o recurso previsto no edital (aqui matéria sobre o assunto), os representantes das entidades foram atemorizados por uma série de regras para compra de bens e contratação de serviços.
Íntegra da matéria.

Especulação imobiliária ameaça patrimônio histórico também em Três Corações


Memórias Arquitetônicas de Três Corações from Paulo Morais on Vimeo.

Estamos entrando no jornalismo da Era da Rede, diz Franklin Martins

A vanguarda da comunicação do país está no governo Lula. Quem poderia imaginar isso? O ministro Franklin Martins diz neste (breve) discurso durante a solenidade de inauguração da TVT – TV dos Trabalhadores, do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, o que eu tenho escrito: estamos diante de um novo paradigma da comunicação.
O modelo antigo, no qual o proprietário é dono da informação, os profissionais (jornalistas) produzem a informação que o patrão quer e todo o resto da população é apenas consumidor, acabou com a internet. No novo paradigma que está sendo criado pela web a informação é produzida por todos.
As organizações sociais têm papel importante no desenvolvimento do novo modelo, porque fazer comunicação não é mais privilégio dos grandes grupos empresariais. Na internet, sindicatos e associações diversas também podem ter suas redes, tão ou mais poderosas do que as redes empresariais.
Não se trata, porém, de repetir o modelo antigo. Trata-se de sindicatos, associações e organizações sociais diversas bancarem o novo modelo no qual o leitor participa ativamente da produção das notícias. É o jornalismo de rede, o jornalismo colaborativo, o novo jornalismo.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Sindicato dos Metalúrgicos inaugura emissora de tevê em São Paulo

Inauguração da TV dos Trabalhadores dá novo vigor à liberdade de imprensa

Depois de acalentar por 30 anos o sonho de ter uma emissora própria, o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (SP) enfim vê sua TV no ar – a TV dos Trabalhadores (TVT) foi inaugurada nesta segunda-feira (23/8) em São Bernardo do Campo (SP), com a presença do presidente Lula e primeira-dama, ministros e prefeitos da região. Lula advertiu que a grande luta começa agora: convencer o público a assistir à programação.
Lula defendeu maior participação de sindicatos e movimentos sociais na exploração de concessões públicas de tevês no País, tendo suas próprias emissoras, porque essas concessões são “bens de todos os brasileiros, que devem ser distribuídos de modo a contemplar todos os setores de nossa sociedade”, disse.
Íntegra no Blog do Planalto.

O Estado de Minas, o enriquecimento dos Perrela e o Palácio da Liberdade

A matéria sugerida de comparar o enriquecimento paralelo do Cruzeiro e dos Perrela ganhou peso na redação. Dois repórteres investigativos foram chamados para ajudar o jornalista que levantou o assunto e tinha informações preliminares. No domingo era uma das principais chamadas na nova capa do EM e várias páginas no Caderno de Esportes. A reportagem não fazia nenhuma acusação direta a qualquer ilicitude no enriquecimento dos irmãos. Não apontava ilegalidades, apenas demonstrava a coincidência. Mas era o tal do “um pingo é letra”. Já no início da semana, Zezé mexeu seus pauzinhos. Atacou pelos dois flancos, no Palácio da Liberdade e na Amena Casa de Assis. Resultado, o jornalista em questão chega para trabalhar e fica sabendo que está demitido.
A íntegra no CometaOn.

Censura à imprensa em Minas Gerais

A propósito da matéria "O fator Andrea Neves", nunca é demais rever este documentário. E lembrar que Anastasia é mais do mesmo.

O fator Andrea Neves



Andréa, irmã de Aécio Neves, talvez o personagem pouco conhecido mais poderoso da política brasileira. Controla com mão de ferro todas as verbas publicitárias do estado e age com uma desenvoltura e provincianismo assustadores: todo crítico é inimigo, e precisa ser calado, todo aliado é incondicional. Sua atuação é o oposto do que se vendeu como estilo Aécio de política. Conseguiu, de fato, calar a imprensa mineira em todos os níveis. Se, por algum capricho da sorte, Aécio ascendesse a um protagonismo nacional, a truculência provinciana da irmã o exporia em dois tempos.

O encontro de blogueiros progressistas

300 podem virar Mil no ano que vem!
Foi um encontro vitorioso esse ocorrido no fim-de-semana em São Paulo. Reunimos, em dois dias de intensos debates, mais de 300 blogueiros progressistas de todo o país; havia gente de 19 estados! Vitorioso, em primeiro lugar, porque aconteceu. Conseguimos dar o primeiro passo. Conseguimos fazer a reunião, na raça. E saiu tudo direito: alimentação, hospedagem, estrutura para os debates. Em apenas 3 meses, botamos o Encontro de pé, contando “apenas” com a boa vontade geral e com o apoio material de 25 quotistas – em sua maioria, saites e sindicatos ou organizações de trabalhadores.
Íntegra no Blog do Rodrigo Viana.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Outras imagens de Leon Trotski

Imagens e voz de Leon Trotski

Trotski discursa num filme raro

70 anos do assassinato de Trotski

Este registro está atrasado dois dias: há 70 anos morreu Leon Trotski. "A morte ocorreu em 21 de agosto de 1940, às 7 horas e 25 minutos (23 horas e 55 minutos depois de ser golpeado na cabeça com um quebrador de gelo, por um falso admirador, a mando de Stalin)", escreveu o historiador Isaac Deutscher, seu biógrafo. "A autópsia mostrou um cérebro de dimensões extraordinárias. Também o coração era muito grande." Tinha 60 anos.
Líder de massas da Revolução Russa de 1917, organizador e comandante do Exército Vermelho, que derrotou os inimigos estrangeiros e venceu a guerra civil, Trotski foi a mais brilhante personagem política do século XX e uma das maiores inteligências do socialismo. Conhecer sua vida e sua obra (além de político foi um grande escritor) é imprescindível para conhecer a história. Não é nenhum sacrifício: tanto seus livros quanto sua biografia são leituras empolgantes. De quantos líderes políticos pode-se dizer quem foram também intelectuais? Quantos estiveram à frente de uma revolução? Quantos se dedicaram a escrever a história, além de fazê-la? Leon Trotski foi uma figura ímpar da humanidade.
(Na foto, o túmulo de Trotski em Coyoacan, México.)

Como lidar com a 'grande' imprensa

Assim, como o Ipea fez com O Globo. Toda entrevista está sujeita a manipulação de informações. Estava. Com a invenção da internet não está mais, exceto para os leitores que querem continuar sendo enganados pelo PIG.

20/8/2010 20:45
O Ipea responde à sociedade
O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) é uma fundação pública federal vinculada à Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Há 46 anos, suas atividades de pesquisa fornecem suporte técnico e institucional às ações governamentais para a formulação e reformulação de políticas públicas e programas de desenvolvimento brasileiros. O Ipea tem como missão "Produzir, articular e disseminar conhecimento para aperfeiçoar as políticas públicas e contribuir para o planejamento do desenvolvimento brasileiro." Dessa forma, o Instituto torna públicos à sociedade esclarecimentos decorrentes de questionamentos feitos pelo jornal O Globo entre 19 e 20 de agosto. Este comunicado tem como objetivo preservar a reputação desta Instituição e de seus servidores e colaboradores, que por meio dos questionamentos do diário estão sendo vítimas de ilações, inclusive de caráter pessoal. Dado o teor desses questionamentos, o Instituto sente-se na obrigação de publicar perguntas e respostas, na íntegra e antecipadamente, para se resguardar. E coloca-se à disposição para dirimir quaisquer dúvidas posteriores.
Assessoria de Imprensa e Comunicação


- Sobre o aumento de gastos com viagens/diárias/passagens na atual gestão: Segundo levantamento feito no Portal da Transparência do governo federal, os gastos com diárias subiram 339,7%, entre 2007 e 2009, chegando no ano passado a R$ 588,3 mil. Este ano já foram gastos mais R$ 419 mil com diárias, 71% do total de 2009. Os gastos com passagens subiram 272,6% entre 2007 e 2009, chegando no ano passado a R$ 1,2 milhão. Qual a justificativa para aumentos tão expressivos?

- A justificativa é o incremento das atividades do Ipea e de seus focos de análise, instituídos pelo planejamento estratégico iniciado em 2008, que estabeleceu sete eixos voltados para a construção de uma agenda de desenvolvimento para o país. Para atender a esses objetivos foram incorporados 117 novos servidores, mediante concurso público realizado em 2008. O Plano de Trabalho para o exercício de 2009 contemplou 444 metas – publicadas no Diário Oficial da União. O cumprimento dessas metas condicionou a participação dos servidores da casa em seminários, congressos, oficinas e treinamentos, bem como em reuniões de trabalho. Além disso, o Ipea passou a realizar inúmeras atividades, como cursos de formação em regiões anteriormente pouco assistidas do ponto vista técnico-científico.
A íntegra na página do Ipea.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Bolívia enfrenta incêndios florestais

BP omite dados sobre vazamento no Golfo do México

A petroleira BP, que operava a plataforma que explodiu no Golfo do México em abril, está sendo acusada de omitir informações importantes na investigação do vazamento. A Transocean, empresa que é dona da plataforma de petróleo, afirma que a BP está se recusando a entregar dados necessários para se descobrir o motivo da explosão. A afirmação foi feita em uma carta entregue por um dos advogados da Transocean a integrantes do governo dos EUA. Na quinta-feira, através da sua porta-voz, a BP negou as acusações, afirmando que a carta contém "afirmações mal-informadas e tendenciosas". Íntegra da matéria da BBC Brasil.

Maioria dos brasileiros não tem esgoto

Advinhe por quê? O capitalismo não se importa com o lixo; ao contrário de luz, água e telefone, esgoto não dá lucro.
Matéria da BBC Brasil:
Quase metade dos municípios brasileiros, ou 44,8% do total, não era servida com uma rede de saneamento em 2008, de acordo com levantamento divulgado nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A oferta do serviço também era bastante desigual. Enquanto no estado de São Paulo a rede de esgoto chegava a 99,8% das cidades, no Piauí apenas 4,5% dos municípios eram atendidos. Quando o cálculo é feito por domicílios, o resultado é ainda mais preocupante: 56% dos brasileiros, ou seja, a maioria da população, não tinham acesso ao serviço de coleta de esgoto há dois anos.

O coração do sistema

"99% das coisas que consumimos se tornam lixo em menos de seis meses." O consumismo é o coração do sistema capitalista e o lixo seu calcanhar de aquiles. O capitalismo se baseia no crescimento contínuo da economia, o que significa consumir cada vez mais, produzir cada vez mais. E cada vez mais gente consumir: os pobres – países, classes – querem participar da festa. Quanto mais consumimos, quanto mais produzimos, mais lixo geramos. O que é feito do lixo? O que fazemos do lixo? O capitalismo não se ocupa com o lixo. Há quem diga que o capitalismo não se ocupou do lixo enquanto ele não era negócio: no momento em que o lixo se torna uma possibilidade de lucro, o sistema se interessa por ele, seja ganhando dinheiro no processamento do lixo, seja reciclando o lixo, seja dimininuindo sua produção, porque ela implica em custos maiores. Será simples assim? Talvez, mas o interesse do capital pelo lixo pode também não vir a tempo de conter e reverter as catástrofes do lixo. As mudanças climáticas estão aí se fazendo sentir por todos e as decisões governamentais são lentas e acanhadas. Ontem soube de uma "sopa de lixo" que flutua no Oceano Pacífico e que tem 100 milhões de toneladas, 90% formada por produtos plásticos! Há algumas semanas, li que uma pesquisa revelou que a biodiversidade marinha está diminuindo drasticamente. As consequências do lixo capitalista são incalculáveis. Este vídeo fala disso e precisa ser revisto periodicamente. "Reciclar não resolve o problema. O sistema está em crise."

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Educação de qualidade em tempo integral

E educação? A discussão é comprida, mas o essencial todo mundo sabe, a começar da sua importância capital. Todos sabemos também que a escola precisa ser em tempo integral, que os educadores têm de ser excelentes e muito bem pagos. Trinta anos atrás Darcy Ribeiro criou os Cieps, no governo Brizola, no Rio. Aquele trabalho não teve continuidade e o problema é muito mais grave hoje. As famílias se desfazem, as mães trabalham, as crianças moram em apartamentos, não têm espaço para brincar, não têm irmãos, não têm amigos. São educadas pela televisão, por babás, por avós. Tudo indica a necessidade de se ter escola em tempo integral. Bem entendido: escola pública. E de qualidade. Com muito espaço – não é escola vertical, improvisada em prédio acanhado, não. Com esportes, artes, ofícios. Alimentação, médico, dentista. E com os melhores educadores. Se queremos melhorar o país e o mundo, precisamos dar boa educação às crianças. Já. Ontem. Tudo o mais fica em segundo plano.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Carta ao generalíssimo

Carta enviada à Prefeitura de Belo Horizonte, endereçada ao Sr. Prefeito Márcio Lacerda, datada de 17 de agosto de 2010
Por Luther Blissett
Ao honradíssimo e reverendíssimo Senhor meu Márcio Lacerda.
Senhor ilustríssimo,
Primeiramente peço-lhe desculpas por tão longo inverno sem notícias. Por alguns dias imaginei que os meus serviços não fossem mais precisos. Enganei-me e hoje lhe reporto com urgência as últimas. Depois da reunião do dia vinte e um de junho do corrente ano, quando o Senhor recebeu alguns banhistas na Prefeitura, novo fôlego foi dado ao movimento. Atento as movimentações já lhe informo que eles se preparam para atacar o decreto publicado no Diário Oficial do Município dia cinco de maio, onde se regulamenta a utilização da Praça da Estação. Eles destacam esta parte: “a necessidade de prévia autorização para realização de manifestações à luz da legislação;” Por esta infeliz colocação, o decreto se torna inconstitucional por ferir o artigo Quinto da Constituição Federal.
A íntegra no blog Praça Livre BH.

Hélio + Patrus

Primeiro programa do horário eleitoral da coligação PMDB-PT.

Dilma = mudança

De pai para mãe. "Deixo em tuas mãos o meu povo."

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Lula: operário em construção

Na solenidade de promoção de Vinicius de Morais no Itamarati, Lula citou o poema "Operário em construção". Mais um ato simbólico importante do presidente.

O operário em construção

Vinicius de Morais

E o Diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo.
E disse-lhe o Diabo:
– Dar-te-ei todo este poder e a sua glória, porque a mim me foi entregue e dou-o a quem quero; portanto, se tu me adorares, tudo será teu.
E Jesus, respondendo, disse-lhe:
– Vai-te, Satanás; porque está escrito: adorarás o Senhor teu Deus e só a Ele servirás. (
Lucas, cap. V, vs. 5-8.)

Era ele que erguia casas
Onde antes só havia chão.
Como um pássaro sem asas
Ele subia com as casas
Que lhe brotavam da mão.
Mas tudo desconhecia
De sua grande missão:
Não sabia, por exemplo
Que a casa de um homem é um templo
Um templo sem religião
Como tampouco sabia
Que a casa que ele fazia
Sendo a sua liberdade
Era a sua escravidão.

De fato, como podia
Um operário em construção
Compreender por que um tijolo
Valia mais do que um pão?
Tijolos ele empilhava
Com pá, cimento e esquadria
Quanto ao pão, ele o comia...
Mas fosse comer tijolo!
E assim o operário ia
Com suor e com cimento
Erguendo uma casa aqui
Adiante um apartamento
Além uma igreja, à frente
Um quartel e uma prisão:
Prisão de que sofreria
Não fosse, eventualmente
Um operário em construção.

Mas ele desconhecia
Esse fato extraordinário:
Que o operário faz a coisa
E a coisa faz o operário.
De forma que, certo dia
À mesa, ao cortar o pão
O operário foi tomado
De uma súbita emoção
Ao constatar assombrado
Que tudo naquela mesa
– Garrafa, prato, facão –
Era ele quem os fazia
Ele, um humilde operário,
Um operário em construção.

Olhou em torno: gamela
Banco, enxerga, caldeirão
Vidro, parede, janela
Casa, cidade, nação!
Tudo, tudo o que existia
Era ele quem o fazia
Ele, um humilde operário
Um operário que sabia
Exercer a profissão.

Ah, homens de pensamento
Não sabereis nunca o quanto
Aquele humilde operário
Soube naquele momento!
Naquela casa vazia
Que ele mesmo levantara
Um mundo novo nascia
De que sequer suspeitava.
O operário emocionado
Olhou sua própria mão
Sua rude mão de operário
De operário em construção
E olhando bem para ela
Teve um segundo a impressão
De que não havia no mundo
Coisa que fosse mais bela.

Foi dentro da compreensão
Desse instante solitário
Que, tal sua construção
Cresceu também o operário.
Cresceu em alto e profundo
Em largo e no coração
E como tudo que cresce
Ele não cresceu em vão
Pois além do que sabia
– Exercer a profissão –
O operário adquiriu
Uma nova dimensão:
A dimensão da poesia.
E um fato novo se viu
Que a todos admirava:
O que o operário dizia
Outro operário escutava.

E foi assim que o operário
Do edifício em construção
Que sempre dizia sim
Começou a dizer não.
E aprendeu a notar coisas
A que não dava atenção:
Notou que sua marmita
Era o prato do patrão
Que sua cerveja preta
Era o uísque do patrão
Que seu macacão de zuarte
Era o terno do patrão
Que o casebre onde morava
Era a mansão do patrão
Que seus dois pés andarilhos
Eram as rodas do patrão
Que a dureza do seu dia
Era a noite do patrão
Que sua imensa fadiga
Era amiga do patrão.
E o operário disse: Não!
E o operário fez-se forte
Na sua resolução.

Como era de se esperar
As bocas da delação
Começaram a dizer coisas
Aos ouvidos do patrão.
Mas o patrão não queria
Nenhuma preocupação
– "Convençam-no" do contrário –
Disse ele sobre o operário
E ao dizer isso sorria.
Dia seguinte, o operário
Ao sair da construção
Viu-se súbito cercado
Dos homens da delação
E sofreu, por destinado
Sua primeira agressão.
Teve seu rosto cuspido
Teve seu braço quebrado
Mas quando foi perguntado
O operário disse: Não!

Em vão sofrera o operário
Sua primeira agressão
Muitas outras se seguiram
Muitas outras seguirão.
Porém, por imprescindível
Ao edifício em construção
Seu trabalho prosseguia
E todo o seu sofrimento
Misturava-se ao cimento
Da construção que crescia.

Sentindo que a violência
Não dobraria o operário
Um dia tentou o patrão
Dobrá-lo de modo vário.
De sorte que o foi levando
Ao alto da construção
E num momento de tempo
Mostrou-lhe toda a região
E apontando-a ao operário
Fez-lhe esta declaração:
– Dar-te-ei todo esse poder
E a sua satisfação
Porque a mim me foi entregue
E dou-o a quem bem quiser.
Dou-te tempo de lazer
Dou-te tempo de mulher.
Portanto, tudo o que vês
Será teu se me adorares
E, ainda mais, se abandonares
O que te faz dizer não.

Disse, e fitou o operário
Que olhava e que refletia
Mas o que via o operário
O patrão nunca veria.
O operário via as casas
E dentro das estruturas
Via coisas, objetos
Produtos, manufaturas.
Via tudo o que fazia
O lucro do seu patrão
E em cada coisa que via
Misteriosamente havia
A marca de sua mão.
E o operário disse: Não!
– Loucura! – gritou o patrão
Não vês o que te dou eu?
– Mentira! – disse o operário
Não podes dar-me o que é meu.
E um grande silêncio fez-se

Dentro do seu coração
Um silêncio de martírios
Um silêncio de prisão.
Um silêncio povoado
De pedidos de perdão
Um silêncio apavorado
Com o medo em solidão.
Um silêncio de torturas
E gritos de maldição
Um silêncio de fraturas
A se arrastarem no chão.
E o operário ouviu a voz
De todos os seus irmãos
Os seus irmãos que morreram
Por outros que viverão.
Uma esperança sincera
Cresceu no seu coração
E dentro da tarde mansa
Agigantou-se a razão
De um homem pobre e esquecido
Razão porém que fizera
Em operário construído
O operário em construção.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Lula fala aos internaut@s

Um dia de checape anual

E o sistema de saúde? É de uma irracionalidade colossal! Não falo do SUS; plano de saúde e até médico particular funcionam do mesmo jeito. A gente consulta, o médico pede um punhado de exames, a gente sai marcando, faz os exames, vai de um lado pro outro, busca os exames, marca retorno, e depois de sabe-se lá quantos dias o médico fala o que a gente tem, dá receitas, prescreve tratamento, isso quando não pede mais exames. Podia ser muito mais simples, mais racional. A gente podia ter um dia de checape anual, marcava, ia cedo, era examinado, fazia todos os exames previstos, passava o dia na clínica, se fosse preciso, e já saía com uma avaliação completa. Pra fazer isso não é preciso nada extraordinário, basta criar o sistema. Hospital para cirurgias, tratamento prolongado, intensivo. Pronto socorro para urgências e emergências. Clínica (com pessoal, equipamentos e instalações) para exames preventivos.

A hipocrisia nas campanhas da 'grande' imprensa

Nada mais justo do que os esforços para salvar a iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani, condenada à morte por apedrejamento. No entanto, no Iraque sob ocupação dos EUA foram assassinadas em nome da honra 133 mulheres em Bagdá, em 2007. Que repercussão tiveram esses assassinatos? Mais de um milhão de iraquianos foram mortos desde a invasão americana, de acordo com a Opinion Research Business, agência britânica de pesquisa.
Matéria da Agência Carta Maior.

O inverno voltou

Quando a temperatura cai a 18ºC, o belo-horizontino põe casaco de couro, cachecol, colete, bota, e brinca de inverno.

Woody Allen refilma Woody Allen

Quando a gente vê Tudo pode dar certo (Whatever works) fica com a impressão de ter visto um Woody antigo, produzido com maestria. Depois vai saber: era um roteiro dos anos 70, que o diretor escreveu para Zero Mostel protagonizar e a morte do grande ator o levou a engavetar. A verborragia inicial, típica dos anos 70, incomoda um pouco, mas o próprio enredo a supera. O filme não ficou velho, nem podia: a temática do sentido da vida é eterna, e Allen a atualizou envolvendo fatos e conhecimentos do século XXI. Nova York continua sendo a capital do mundo, para que ele a possa comparar com os grandes centros de civilização de outras eras. Larry David é o próprio Woody Allen, não Zero Mostel. Trinta anos atrás pareceria pretensioso, Allen se declarando gênio, hoje é um reconhecimento à sua obra incrivelmente original, embora repetitiva. O que mais me impressiona é sua capacidade de inventar uma situação, uma cena, e dela deviar uma história inteira, que acompanhamos com interesse e prazer. Algumas sacadas divertidas, como a 5ª Sinfonia de Beethoven, e alguns clichês (denunciados no próprio filme), como as transformações dos pais de Melodie. Em 2010 Woody Allen é um mestre na manipulação dos truques cinematográficos. A mágica de o protagonista se dirigir à plateia ganhou caráter de interatividade, em tempos de internet. No fim, é apenas uma hora e meia de divertimento. É o que funciona. Allen sempre soube que o cinema é isso.

domingo, 15 de agosto de 2010

Cidadão, leitor, jornalista

1- A internet é um novo paradigma de comunicação, porque possibilita a todos se expressarem, produzirem e difundirem informações. No modelo antigo, as pessoas comuns são passivas; na internet, são ativas. No modelo antigo, há um dono ou concessionário do veículo de comunicação para mil profissionais que produzem as notícias e um milhão de leitores e telespectadores. Na internet, há bilhões de donos e produtores de notícias. Todos dispondo de recursos fantásticos, como vídeos, áudios, fotografias, animações e ilustrações, além de textos. A internet integra todos os outros meios: jornal, revista, rádio, televisão, cinema, telefone. Uma revolução.
2- O outro lado da moeda dessa pluralidade de informações são o excesso e a dispersão. Como novo meio, o modelo da internet ainda está em formação; precisa de mecanismos para cada um localizar rapidamente as informações que lhe interessam e fazer o que quer fazer: comunicação, entretenimento, informação.
3- As organizações sociais (sindicatos, associações diversas, ONGs etc.) ainda engatinham na internet. Visto que a internet está acessível a todos, sem que sejam precisos investimentos astronômicos, elas podem montar estruturas de comunicação tão poderosas – ou mais – do que as grandes empresas comerciais. Algumas iniciativas estão em curso, falta compreender seu potencial, expandi-las e multiplicá-las.
4- Um exemplo desse potencial são as redes sociais, como o facebook. Conjunto de saite com aplicativos, o fb é hoje o veículo mais avançado de comunicação na internet, porque põe ao alcance de pessoas comuns o compartilhamento de informações num ambiente coletivo. Um passo importante que as organizações sociais precisam dar é a criação de redes semelhantes ao fb para compartilhamento específico de notícias – comunidades cujo interesse seja a produção e troca de informações de interesse coletivo, em forma de textos, fotos, vídeos, áudios etc. Talvez seja essa a nova forma de imprensa na internet, uma imprensa feita por todos: cidadãos-leitores-jornalistas.

O asfalto e o passeio

Algumas coisas nunca deixam de me espantar. Por exemplo: o asfalto dos carros tem manutenção constante, enquanto o passeio dos pedestres, das crianças, dos idosos e dos deficientes é de péssima qualidade.

Estudantes protestam e são agredidos. Mais 4 anos disso?

"Dia do Estudante: o que temos para comemorar?

Dia 11 de agosto de 2010, comício de Aécio e Anastasia, candidatos a senador e governador de Minas, em Teófilo Otoni, 10 estudantes são agredidos fisicamente e moralmente na Praça Tiradentes em manifestação pacífica.


Após 8 anos de governo Aécio em Minas, os estudantes não têm o que agradecer ao governador. As escolas públicas se encontram sucateadas, falta estrutura para receber os estudantes, a universidade pública do estado (UEMG) é paga, o ensino médio está cada vez mais em decadência, faltam professores, não há o pagamento do piso salarial federal – lei sancionada pelo presidente Lula. Esses são alguns pontos que demonstram como o governo Aécio não avançou em nada no campo da educação.

Apesar de vivermos num país democrático, não desfrutamos de democracia plena em Minas Gerais. Todas as pessoas contrárias as arbitrariedades do governo são perseguidas e são cerceadas delas o direito de reivindicarem melhorias para a população.

Durante visita de Aécio Neves e Anastasia, ambos candidatos pelo PSDB em Minas, 10 estudantes foram violentamente agredidos por pessoas ligadas à coordenação da sua campanha e por funcionários contratados para hastear suas bandeiras. Os estudantes estavam com cartazes expressando sua indignação com esse governo, pedindo o pagamento do piso salarial do magistério, educação de qualidade, mais verbas para a educação pública etc. Em nenhum momento desrespeitaram esse comício, apenas levantaram os cartazes e, ameaçados pela coordenação do Anastasia, insistiram em continuar o ato e afirmar o direito da liberdade de expressão e de manifestação.
Essa atitude mostrou a cara do governo Aécio/Anastasia, sua face de autoritarismo combinado com violência, sua face de criminalizar os movimentos sociais, de manipulação por meio da mídia, visto que nenhum meio de comunicação que estava no local aceitou publicar algo sobre o ato dos estudantes. Diante disso perguntamos a todos e todas estudantes: o que temos para comemorar nesse 11 de agosto, dia dos estudantes?

Assinam: Leonardo UFVJM, Gabriela UFVJM, Humberto UFVJM, Janaina UFVJM, Harkirene UNEC, Daniel UFVJM, Ângelo, Júnior UFVJM.
Divulguem em seus contatos as arbitrariedades desse governo tucano!"

Do Blog do Nilmário

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Abraço grátis

Fico pensando que juventude é sempre igual, a diferença é a época. A mesma vontade de dar abraços grátis minha geração tinha nos anos 70, a ditadura é que não deixava. Então a gente fazia política...

Pela aprovação da emenda constitucional que desapropria escravocratas!

É inacreditável! A abolição foi feita há 122 anos!

Pecuarista é flagrado pela 6ª vez com trabalho escravo
12/8/2010
Expropriação de terras de escravagistas poderia ter evitado pelo menos 159 libertações de escravizados no caso de apenas uma única propriedade no Maranhão: a Fazenda Zonga, do pecuarista Miguel de Souza Rezende

Por Bianca Pyl, do Repórter Brasil
Se a Fazenda Zonga, em Bom Jardim (MA), tivesse sido confiscada do pecuarista Miguel de Souza Rezende após a primeira libertação de trabalho escravo da área em 1996 – como prevê a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 438/2001, que tramita desde 1995 no Congresso –, a escravidão de pelo menos outras 159 pessoas poderia ter sido evitada. Detalhe: a "propriedade" em questão fica dentro da Reserva Biológica (Rebio) de Gurupi. Pela sexta vez, trabalhadores em condições análogas à escravidão foram encontrados na Fazenda Zonga. Da primeira vez, foram 52 libertados. Todos os que vieram nos anos seguintes, portanto, poderiam não ter ocorrido caso houvesse a expropriação. Foram 32 libertações em 1997, 69 em 2001, 13 em 2003 e, agora em agosto de 2008, mais 45. Ao todo, 276 trabalhadores foram libertados das fazendas de Miguel, de 77 anos. Além dos 211 escravizados na Zonga (nesta última fiscalização, havia escravos também na Fazenda Minas Gerais, que está registrada no nome da esposa do pecuarista), houve mais uma libertação de 65 pessoas da Fazenda Pindaré, em João Lisboa (MA), também em 2003.

Nem precisa de texto

Tira a cerca, Lacerda!

O governo Lacerda é um período lamentável para a história de BH, um retrocesso em relação aos 16 anos anteriores. Como era de se esperar. Ele administra a cidade como uma empresa privada e privatiza os espaços públicos, como a Praça da Estação. O blog Praça Livre BH, nascido no movimento Praia da Estação, continua reagindo, com lições de cidadania e democracia.

Tira a cerca, vai?
Por Luther Blissett
Diante da regulamentação da prefeitura de Belo Horizonte para a ocorrência de eventos na Praça da Estação, podemos até aceitar, em último caso, que nessas ocasiões sejam cercados o monumento central, os jardins e as árvores, já que se insiste em manter à tona o tão conhecido discurso da preservação do patrimônio (leia-se: maquiagem da cidade para a realização da Copa 2014). No entanto, a presença da cerca ao redor da praça é lamentável, absurda e, a propósito, desnecessária. Quem se interessar...
A íntegra

Triste fim de WB

A série de entrevistas da Globo só confirma o que eu já sabia: vai longe a época em que a televisão decidia eleição. O poder dessa gente minguou, a comunicação agora se faz na internet.
Matéria da novae e tijolaço do Brizola Neto.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Prefeito Lacerda é vaiado na abertura do FIT

O espetáculo “Donka - Uma Carta a Tchekhov" abriu de forma brilhante a 10 edição do Festival Internacional de Teatro de Belo Horizonte (FIT), na noite desta quinta-feira (5), no Palácio das Artes. A apresentação constrói belas imagens a partir do universo do escritor russo misturando dança, circo e música. O único senão da solenidade de abertura ficou por conta das vaias ao prefeito da capital mineira, Marcio Lacerda. O prefeito ouviu a manifestação do público quando mencionou, em seu discurso, que Belo Horizonte não tem praia, mas tem muitos encantos. Foi a deixa para os presentes lembrarem do movimento “A Praia da Estação”...
Íntegra no MG1.
Matéria do Hoje em Dia.
Até o Estado de Minas deu.

Decreto do prefeito tira Grupo Galpão da Praça da Estação

Do Magazine.
Quando o público se torna privado
Douglas Resende e Júlia Guimarães
Na trajetória do Grupo Galpão, por diversas vezes a Praça da Estação serviu de palco aberto para seus espetáculos. Essencialmente um grupo de teatro de rua, eles apresentaram lá "Romeu e Julieta" e "Um Molière Imaginário", alcançando um contato delicado e mais direto com o público, que estaria ali numa comunicação olho no olho, trazendo belos e raros momentos de poesia para o centro da cidade. Esses momentos, no entanto, correm o risco de não voltar a acontecer, depois da decisão imposta pela Prefeitura de Belo Horizonte, no início do mês passado, estabelecendo valores entre R$ 9 mil e R$ 19 mil para a realização de eventos no local. "Com uma taxa dessas torna-se completamente inviável fazer eventos delicados como teatro", diz Inês Peixoto, atriz do Galpão. "Mesmo para nós, que somos um grupo com patrocínio da Petrobras, é completamente inviável".
A íntegra.

No meio da estação, o inverno acabou

Temperatura em Belo Horizonte
Segunda-feira, 9/8
28ºC

Veja Previsão completa

Prefeitura transforma FIT em arena Fifa-Coca-Cola

Praça cercada. Como é?

agosto 9, 2010 por Luther Blissett

Acreditem! essa imagem acima é de uma senha distribuída ontem para assistir ao espetáculo DE RUA Ka@smos, realizado na abertura do FIT BH.

Senha? Mas como assim? O espetáculo não é de rua?

É isto mesmo, contrariando os princípios de uma apresentação de espetáculo teatral de RUA, que é feita para as pessoas que estão transitando pela cidade, para dialogar com o espaço público, para causar a surpresa das pessoas: estar na rua e se deparar com um espetáculo, com o inusitado, para mudar o cotidiano, papel da arte diríamos.

Pois bem, não foi o que aconteceu na abertura do FIT, na Praça da Estação (local público da apresentação) havia uma cerca e uma portinha controlando a entrada das pessoas na Praça. COMO ASSIM CONTROLANDO A ENTRADA DAS PESSOAS NA PRAÇA? A PRAÇA NÃO É PUBLICA? Aí para assistir a um esptetaculo teatral De RUA as pessoas formaram uma longa fila para entrar na Praça da Estação. COMO ASSIM ENTRAR NA PRAÇA DA ESTAÇÃO?????

Do blog Praça Livre BH.

Ex-Galo jogará em Minas, mas Grêmio Prudente é que estará 'em casa'

O ex-treinador Vanderlei Luxemburgo deu mais uma demonstração de alienação, ao depositar sua esperança de reabilitação no fato de seu time de ex-jogadores, que alugou a gloriosa camisa do Clube Atlético Mineiro nesta temporada, jogar as duas próximas partidas em casa. Que o ex-treinador vive fora da realidade, levando-se em conta o salário que recebe e a qualidade do serviço que presta, isso já se sabia, mas sua incapacidade de ver o que se passa à sua volta impressiona, mais uma vez. O Atlético não tem estádio há décadas (uma diretoria entregou o velho estádio de Lourdes para um shopping), o Mineirão e o Independência estão fechados para reforma. Na última vez em que jogou em Minas, o time do Luxemburgo perdeu, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, em partida que só teve torcedores atleticanos. Fator campo, portanto, já não existe para o atual campeão mineiro. Enquanto isso, o Grêmio Prudente atuou ontem no Ipatingão contra o Cruzeiro, empatou em zero a zero, e continua na cidade do Vale do Aço aguardando o ex-Galo para o jogo da próxima quarta-feira, pela Copa Sul-Americana. Quem é que vai jogar em casa?

Torcedor que comprou ingresso vip e não teve seu lugar reservado será indenizado

Com base no Estatuto do Torcedor, o juiz da 1ª vara do juizado especial Cível da capital de São Paulo, Renato de Abreu Perine, condenou a Federação Paulista de Futebol a indenizar o consumidor Alberto Rollo, que comprou ingresso vip e viu o jogo em pé, na decisão do Campeonato Paulista de 2010, entre Santos e Santo André. A Federação terá de devolver R$ 700, correspondentes à diferença entre o preço dos ingressos para o setor vip e para arquibancada, e ainda pagar indenização de R$ 1.400. Íntegra no Blog do Juca Kfouri.

sábado, 7 de agosto de 2010

Caro come te - Gigliola Cinquetti

Rumo à segundona

O time de ex-jogadores do ex-treinador Celso Luxemburgo, que alugou a camisa gloriosa do Clube Atlético Mineiro, perdeu mais uma. Se o xará goiano vencer amanhã, atingirá, enfim, a invejável condição de lanterna do campeonato. Daqui a pouco, Vanderlei Roth vai pedir para sair, Kalil vai dizer que fez tudo, mas não deu certo, vai rescindir contratos do número 1 e outras falsas estrelas, vai convocar um salvador, para livrar o clube do rebaixamento. Não acho justo: juntos na vitória, juntos na derrota; se o Atlético vai cair, que o elenco milionário caia junto.

Fazenda de primo de ruralista mantinha trabalho escravo

Fiscalização encontrou 26 pessoas em condições análogas à escravidão na Fazenda Santa Mônica, no município de Natividade (TO), pertencente a Emival Ramos Caiado, primo do deputado federal Ronaldo Caiado (DEM-GO). Não era apenas a cerca de mourões, por eles mesmos reconstruída a partir do desmate de mata nativa, que impunha limites à dignidade de trabalhadores da fazenda. Alojados em cinco barracos de lona e madeira erguidos sobre chão de terra em pontos isolados do imóvel e próximos às frentes de trabalho, não tinham acesso a banheiros, água potável, energia elétrica, leitos e alimentação minimamente decentes.
Por Maurício Hashizume e Rodrigo Rocha, íntegra no Repórter Brasil.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

O superônibus chinês

Como diria Asterix: "Esses chineses são mesmo loucos".

Governo proporá regulação da mídia

Esta semana reúne-se, pela primeira vez, o grupo ministerial constituído por decreto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para formular, até o fim do ano, o projeto de lei do marco regulatório da Comunicação e da Telecomunicação, uma proposta a ser entregue, completa, ao próximo governo. O grupo é enxuto, presidido pela ministra Erenice Guerra, da Casa Civil, conta com o ministro da Secretaria de Comunicação Social, Franklin Martins, o advogado geral da União, Luis Inácio Adams, e o ministro das Comunicações, José Artur Filardi. (...) Ao longo dos meses, quem quiser pode dar sua contribuição, qualquer ministério, qualquer interessado, tal é a vastidão e complexidade das normas a serem analisadas. O ministro Franklin Martins viajou na semana passada à Europa para contatos em torno de duas questões. Uma, a implantação de um Projeto Internacional de TVs Públicas...
Do jornal Valor via Luís Nassif Online.

TV Cultura trata criança como criança, não como consumidor

Artigo de Eugênio Bucci mostra a importância de se salvar a TV Cultura, ameaçada pela administração neoliberal tucana de São Paulo.
Há algumas semanas, a TV Cultura de São Paulo anunciou que, a partir de janeiro de 2009, vai suprimir da sua faixa de programação infantil, de 11 horas diárias, todos os anúncios comerciais. A notícia é mais importante do que a repercussão que obteve. Passou praticamente sem ser notada, mas indica um movimento de grande significado. Por dois motivos distintos. O primeiro é deixar claro que, na visão da direção da emissora, as crianças têm o direito de ser protegidas do assédio da mercadoria.

Supremo julga novo sistema de televisão brasileiro

O Supremo Tribunal Federal julga hoje (4/8/10) ação que contesta a constitucionalidade do ato que criou o Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre em 2006. O que está por trás disso é a contestação do tradicional monopólio da mídia brasileira. A TV digital conforme foi criada aqui não é apenas uma melhoria tecnológica a ser agregada aos meios de comunicação já existentes, é a criação de um novo serviço, que permite uma série de possibilidades de interação e de uso de outros canais de comunicação por meio da multiprogramação e da recepção móvel feita, por exemplo, por celulares.
Matéria da Agência Carta Maior.

TV Cultura vai cortar programas e demitir 1.400

O presidente da TV Cultura, João Sayad, que assumiu o cargo em junho, vai reduzir a produção de programas e cortar o número de funcionários de 1.800 para 400, segundo o Blog do Daniel Castro. A missão lhe teria sido conferida pelo governador tucano Alberto Goldman. Em comunicado oficial, a Fundação Padre Anchieta não nega as demissões; diz que a Cultura precisa se renovar, porque se tornou cara e ineficiente.

Jornal Nacional reduz noticiário com Lula

"Recebi de profissionais de mídia, especializados em clipping e acompanhamento de telejornais, tabelas comparativas que mostram como o Jornal Nacional está limando Lula do notíciário em 2010, enquanto em outros jornais, a média de aparições do presidente muda pouco. Isso não é falta de pauta relevante, pois os outros jornais continuam com cobertura frequente dos atos da Presidência."
Íntegra no blog Nas retinas.

Produtora de açúcar e álcool descumpre acordos

Megaempresa que já fez parte da lista suja do trabalho escravo, Cosan pagará R$ 3,4 milhões por descumprimento de acordos trabalhistas. Matéria do Repórter Brasil.

Morangos com agrotóxicos e escravidão em Pouso Alegre

Três adolescentes e mais 43 trabalhadores foram libertados de condições degradantes de trabalho (péssimas condições sanitárias e exposição perigosa a agrotóxicos) em duas fazendas produtoras de morango em Pouso Alegre (MG). A operação envolveu a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Minas Gerais (SRTE/MG) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF).
Matéria do Repórter Brasil.

Lula sanciona lei que cria política nacional para o lixo

Dezenove anos depois de ser apresentada ao Congresso, a lei que institutui a Política Nacional de Resíduos Sólidos foi sancionada pelo presidente Lula segunda-feira, 2/8/10. Trata-se de uma mudança de mentalidade econômica, que não se encerra no consumo, e é imprescindível à relação equilibrada com o meio ambiente. A lei responsabiliza fabricantes, importadores, distribuidores, comerciantes e consumidores pela destinação do lixo. Lixões deverão ser substituídos por aterros sanitários. Estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada(Ipea) mostrou que só 12% dos resíduos sólidos urbanos e industriais são reciclados e apenas 14% dos brasileiros são atendidos por coleta seletiva. A ministra do Meio Ambiente, Izabela Teixeira, disse que a lei poderá mudar o padrão de consumo do brasileiro. Lula disse que a lei promove a inclusão social dos catadores de lixo. A candidata do PV à presidente, Marina Silva, elogiou a nova lei. A lei ainda precisa ser regulamentada pelo Congresso. Isso levará mais vinte anos?
Matérias do Uol, Estadão, G1, Portal Terra, Último Segundo,

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

O prefeito prometeu melhorar os passeios. O que fez? Tocos de árvores


Em maio de 2009 o xerife Lacerda fez uma caminhada pelo Centro de Belo Horizonte e "sentiu na pele" o dia-a-dia do pedestre. Nunca é demais lembrar que o prefeito é um empresário acostumado a se locomover de carro e que mora em Nova Lima. A experiência, portanto, se justifica. Ele viu muitas calçadas esburacadas. "São detalhes que fazem a diferença, e estamos trabalhando para resolver rapidamente alguns problemas pendentes", afirmou Lacerda, segundo reportagem do jornal Hoje em Dia. E olha que, comparados aos dos bairros, os passeios do Centro são ótimos. Um ano e três meses depois, o que será que foi feito? Eu, que moro em Belo Horizonte e ando nos nossos passeios diariamente, digo que praticamente nada. A melhoria mais recente foi a padronização do piso, na administração passada, importante, mas infelizmente mal conservada e desrespeitada: de que adianta uma guia para cegos, se os carros estacionam sobre ela impunemente? A novidade em 2010 são os tocos de árvores: a prefeitura está cortando muitas árvores, mas isso também não beneficia os pedestres, pois os tocos ficam. A Cidade Jardim está virando a cidade dos tocos.

O que a prefeitura vai fazer na Praça Floriano Peixoto?

Prefeitura de Belo Horizonte "revitaliza" a Praça Floriano Peixoto, em Santa Efigênia. Considerando os recentes episódios de proibição de uso da Praça da Estação e dos "eventos" Fifa-Coca-Cola, nos quais a atual administração demonstrou sua política de privatização dos espaços públicos, não é exagero desconfiar da tal "revitalização".

O irracional sistema de transporte coletivo de Belo Horizonte

Toda vez que tomo um ônibus em Belo Horizonte (não é muito comum, eu prefiro andar), fico impressionado com o sistema de transporte coletivo da cidade. Todas as linhas passam pelo Centro, inúmeros ônibus estão vazios, enquanto outros estão superlotados. E a quantidade de linhas que passam pela estrangulada Praça da Liberdade! As viagens, é claro, demoram uma eternidade, no trânsito engarrafado. Para não perderem a faixa da rua em que estão, os motoristas não encostam no passeio, e os passageiros têm que descer no asfalto.
Não vou falar dos abrigos que tomam os passeios estreitos, nem do número absurdo de carros dirigidos por motoristas endividados. O que me impressiona é como os "especialistas" da BHTrans, cujo trabalho é exclusivamente este, não veem a irracionalidade do sistema de transporte coletivo da capital.
É óbvio que o transporte coletivo deve ser prioritário, o que significa rápido, confortável e barato. Quem quiser ficar engarrafado em automóveis que fique, mas muita gente certamente trocará o transporte individual pelo transporte coletivo de qualidade.
E é tão simples isso! Basta implantar uma linha de ônibus – única – em cada corredor de trânsito importante, normalmente as avenidas. Como elas se entrelaçam, o próprio passageiro desce de um ônibus e toma outro.
É igualmente óbvio que ruas de bairros não comportam ônibus e devem ser percorridas por microônibus. Um sistema assim é muito mais racional, o que significa também econômico.
A Avenida do Contorno, um corredor importante, porque interliga várias regiões e o Centro, é congestionada por várias linhas. No entanto, a linha principal, Circular 1, é péssima, os ônibus demoram demais. Há até uma linha com o mesmo nome, cujo objetivo, aparentemente, é confundir os passageiros, pois para no meio do caminho.
Não seria ótimo se houvesse uma – insisto: única – linha percorrendo a Contorno, um ônibus atrás do outro, de cinco em cinco minutos, e ao descer no ponto (no passeio, não na rua), a gente pudesse pegar um microônibus que entra pelas ruas do bairro? Ou descer na esquina de uma avenida, que funciona como corredor de trânsito e nos leva na direção que queremos ir?
Se um passageiro eventual percebe isso, por que não autoridades e funcionários que nós sustentamos com impostos exclusivamente para cuidar do trânsito?

PS: A resposta é óbvia: porque os interesses do capital não querem. Donos de empresas pagam as campanhas dos políticos, que, eleitos, lhes dão em troca concessões e grandes lucros, sustentados por tarifas altíssimas. Nada disso passa pelos interesses coletivos, nem pela racionalidade, são só interesses das empresas misturadas com interesses dos políticos, a caixa preta do sistema de transporte, a corrupção da qual a "imprensa" -- também metida na história, porque leva o seu -- nada fala.

domingo, 1 de agosto de 2010

Visitas domiciliares do Censo 2010 começam hoje

230 mil profissionais vão percorrer os 58 milhões de domicílios do País em busca de informações para a pesquisa decenal do IBGE. São identificados por uniforme e crachá e é possível conferir sua identidade por telefone 0800 e pela internet. Notícia do Blog do Planalto.

Governo federal leva livros a fábricas

Já existem 514 "pontos de leitura" do Ministério da Cultura em locais alternativos, como borracharias, bancas de mercado e, agora, fábricas. A notícia está no Blog do Planalto.

A bagunça do futebol e do governo mineiros: Atlético x Cruzeiro em Sete Lagoas, hoje

Que bagunça é o futebol mineiro! Quanta incompetência na administração Aécio Anastasia! Atlético e Cruzeiro jogam hoje pelo campeonato brasileiro e podem bater o recorde de pior público dos confrontos entre os dois clubes de maior torcida em Minas, nas últimas quatro décadas. É que vão jogar no acanhado estádio do Democrata, em Sete Lagoas. Nada contra a cidade, é até interessante que Atlético e Cruzeiro joguem no interior, já que se pretendem clubes mineiros e não belo-horizontinhos, mas isso só acontece porque não há um estádio na capital para o jogo. Tanto que ambos estão insatisfeitos com a "Arena do Jacaré" e estudam mandar jogos no Ipatingão, estádio maior e mais moderno. O Mineirão está fechado para reformas para a Copa de 2014 e o Independência também. Belo Horizonte não tem outro estádio, sequer um campo modesto! Inacreditável um governo que se diz competente e dois clubes que se pretendem modernos não terem previsto isso. Qualquer instituição razoavelmente organizada faria assim: reformaria primeiro o Independência e só depois começaria as obras no Mineirão. Resultado: o principal jogo de futebol mineiro será disputado a 70 km da capital e, por segurança, terá apenas uma torcida, a do mandante, no caso o Galo – no segundo turno, a situação se inverterá. Foram colocados à venda pouco mais de 13 mil ingressos, podendo chegar a 21 mil, segundo sei lá quais critérios da Polícia Militar, que é quem decide se essas coisas (foi ela também quem baniu dos estádios durante anos as bandeiras que embelezam os jogos). O pior público de um Atlético x Cruzeiro, desde 1971, foi de 11.573 pagantes, no dia 10 de julho de 2004. Se serve de incentivo para os atleticanos, nos cinco jogos de piores públicos, o Galo venceu quatro e empatou um. Quem quiser saber mais sobre estatísticas desse confronto, dê uma olhada no blog do Rogério Perez, que é uma verdadeira enciclopédia de futebol.